Logo Agroattraction

Pulgão: Como acabar com esta praga da lavoura

Saiba exatamente como acabar com a famosa praga da lavoura: O Pulgão!
Agroattraction

O pulgão é uma das pragas mais comuns em plantações e jardins, causando danos significativos às plantas. Esses pequenos insetos se reproduzem rapidamente e se alimentam da seiva das plantas, enfraquecendo-as e tornando-as mais suscetíveis a outras doenças. Existem diversas formas de controle do pulgão, desde o uso de técnicas mecânicas até o uso de produtos químicos, mas é importante entender as causas da infestação e adotar medidas preventivas para evitar a proliferação desses insetos.

Quais plantas o pulgão pode atacar?

O pulgão pode atacar uma grande variedade de plantas, incluindo árvores frutíferas, hortaliças, plantas ornamentais e culturas agrícolas. Algumas plantas são mais suscetíveis ao ataque, como as da família apiácea, como coentro, cenoura e salsa. Plantas sob estresse hídrico ou nutricional também são mais vulneráveis ao ataque do pulgão, pois liberam substâncias químicas atrativas. O ataque começa de forma definida, com apenas algumas plantas atingidas, mas pode se espalhar rapidamente para o restante da lavoura.

Como matar o Pulgão?

O pulgão é uma praga comum em plantas e pode causar danos significativos à saúde e ao crescimento das plantas. Existem várias maneiras de controlar e eliminar o pulgão, incluindo o uso de soluções caseiras, venenos comerciais e controle biológico.

Principais formas de matar o pulgão

Existem diversas formas de matar o pulgão, uma praga comum em plantações e jardins. Além do uso de pesticidas químicos, que podem ser prejudiciais ao meio ambiente e à saúde humana, o controle biológico é uma alternativa eficiente e sustentável. O controle biológico consiste em utilizar agentes predadores, parasitoides e/ou entomopatógenos para reduzir as populações de pragas, como os pulgões. É importante considerar todas as opções disponíveis antes de escolher a forma de matar o pulgão mais adequada para cada situação.

Qual é o melhor veneno para multar o pulgão?

De acordo com os resultados encontrados em uma pesquisa no Google, investir em um Manejo Integrado de Pragas (MIP) eficiente é a melhor forma de controlar pulgões, incluindo o pulgão-preto. Durante um estudo de dois anos, foi constatado que o MIP foi mais eficiente do que o uso de inseticidas durante períodos de infestação intensa. Além disso, existem outras formas de controle, como o uso de plantas atrativas para predadores naturais, controle mecânico e biológico, além do uso de inseticidas seletivos aos inimigos naturais da praga.

O que causa o pulgão?

De acordo com os resultados encontrados, o pulgão é causado pelo excesso de nitrogênio no solo. Além disso, a falta de cálcio e boro também pode provocar a incidência de outras pragas, como cochonilhas e lagartas. É importante ressaltar que quase todas as pragas estão relacionadas à deficiência na adubação, o que reforça a importância de uma adubação adequada para prevenir o surgimento do pulgão.

Qual é o remédio caseiro para matar pulgão mais eficiente?

Soluções caseiras, como a mistura de alho, cebola e água, também podem ser utilizadas para combater essa praga. Existem diversas opções de remédios caseiros para matar pulgão, mas de acordo com os resultados da pesquisa, o mais eficiente é o Forth Mata Pulgão. Ele deve ser aplicado em toda a planta, principalmente sobre os pulgões, evitando os horários mais quentes do dia. A aplicação deve ser repetida a cada 15 dias ou quando necessário, e os resultados são esperados em até 24 horas após a aplicação do produto.

O que o pulgão causa nas plantas?

O pulgão é um inseto que se alimenta da seiva das plantas e pode causar danos diretos e indiretos. Os danos diretos incluem a sucção da seiva, que prejudica o crescimento da planta, deformação de tecidos, necroses e folhas encarquilhadas. Além disso, os pulgões injetam substâncias tóxicas que diminuem o crescimento das árvores e reduzem a capacidade fotossintética da planta. Os danos indiretos incluem a ocorrência de material fuliginoso formado por fungos, que reduz ainda mais a capacidade fotossintética da planta. Em resumo, o pulgão pode causar um declínio rápido da planta, seca dos galhos e retardamento no crescimento, principalmente em plantas jovens no campo ou em mudas em viveiro.

Qual é ciclo biológico do pulgão?

O ciclo biológico do pulgão é considerado muito curto, com duração média de 15 dias em temperaturas em torno de 25-27ºC. Durante este período, cada fêmea pode dar origem a cerca de 70-80 novos pulgões, com média de quatro pulgões por dia. Os pulgões se reproduzem de duas formas: sexuadamente ou através de partenogênese telítoca, em que as fêmeas colocam ovos que originam somente fêmeas sem a necessidade de machos para a cópula. O período ninfal varia de 5 a 6 dias, durante o qual são verificados 4 ínstares. Os pulgões se alimentam da seiva das plantas e se multiplicam com muita rapidez, causando danos severos como redução de desenvolvimento, encarquilhamento e amarelecimento das plantas.

Como identificar o pulgão?

O pulgão é um inseto muito pequeno, de cor marrom, amarela, preta ou esverdeada. Ele pode ou não ter asas, dependendo da espécie, e é conhecido por atacar diversos tipos de plantas, como milho, cevada, uva, hortaliças e vários tipos de gramíneas. Os pulgões não possuem separação entre cabeça e tórax e seu formato na fase adulta é ovóide. Independentemente da cor, possuem pernas, antenas e sifúnculos escuros. Para uma identificação mais precisa, é recomendado consultar um(a) engenheiro(a) agrônomo(a).

Quais os tipos de pulgão?

Existem diferentes tipos de pulgões, que podem variar em cor e tamanho. As espécies mais comuns são o pulgão amarelo palha e o pulgão verde translúcido, mas também existem pulgões pretos e vermelhos. Eles são pequenos insetos, com formato ovóide e não possuem separação entre cabeça e tórax. Os pulgões são conhecidos por atacar diversos tipos de plantas, como milho, cevada, uva, hortaliças e vários tipos de gramíneas.

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *