Logo Agroattraction

Bicos de Pulverização: Entenda tudo a respeito!

Agroattraction

Os bicos de pulverização são dispositivos de precisão utilizados em sistemas de pulverização para distribuir líquidos em uma área, aumentar a área de superfície do líquido e criar força de impacto em superfícies sólidas.

Existem diferentes tipos de bicos disponíveis para uso em pulverizadores, cada um com sua própria finalidade específica.

As pontas de pulverização também são um elemento crucial em um pulverizador, pois a vazão do líquido e o tamanho das gotas dependem desse instrumento.

Neste contexto, é importante entender a função e os tipos de bicos de pulverização disponíveis para garantir uma aplicação eficiente e precisa de agroquímicos.

Como são classificados os bicos de pulverização?

Os bicos de pulverização são classificados com base em diversos critérios, que consideram o padrão de pulverização, o tipo de aplicação desejada, o tamanho das gotas e o material de construção.

Aqui estão as principais classificações:

  1. Segundo o Tipo de Jato:
    • Jato Plano (ou de Leque): Produzem um padrão de pulverização plano e uniforme. São ideais para a aplicação de herbicidas de contato e pré-emergentes em pré-plantio ou pós-plantio.
    • Jato Cônico:
      • Padrão Vazio: Produzem um padrão de pulverização circular. São frequentemente usados para a aplicação de inseticidas e fungicidas.
      • Cheio: Produzem gotas mais finas em comparação aos de padrão vazio e são usados para uma cobertura mais completa das plantas.
    • Jato Sólido: Produzem um jato contínuo de líquido. São comuns em aplicações diretas ou em bandas, como na fertilização em linha.
  2. Segundo o Tamanho da Gota:
    • Fina: Bicos que produzem gotas pequenas são ideais para a máxima cobertura da planta, como em aplicações de fungicidas e inseticidas.
    • Média: Oferecem um equilíbrio entre cobertura e minimização da deriva.
    • Grossa a Ultra Grossa: Produzem gotas maiores, ideais para minimizar a deriva, comuns em aplicações de herbicidas.
  3. Segundo a Tecnologia ou Funcionalidade:
    • Redução de Deriva: Bicos projetados para produzir gotas maiores, minimizando a deriva.
    • Venturi (ou Injeção de Ar): Misturam o produto pulverizado com ar, formando gotas maiores e mais resistentes à deriva.
    • Eletrostáticos: Utilizam cargas elétricas para melhorar a aderência das gotas às plantas.
    • Rotativos ou Atomizadores: Usam a força centrífuga para criar gotas muito finas, comumente usados em aviões agrícolas.
  4. Segundo o Material de Construção:
    • Aço Inoxidável: Resistentes e duráveis, ideais para produtos abrasivos.
    • Cerâmica: Oferecem alta durabilidade e são resistentes ao desgaste.
    • Polímeros (Plástico): Geralmente menos duráveis que os de aço ou cerâmica, mas são resistentes à corrosão.
  5. Segundo a Capacidade de Vazão:
    • Varia de bicos de baixa vazão, utilizados para pequenas aplicações e precisão, até bicos de alta vazão, utilizados em aplicações que exigem maior volume.

Ao escolher um bico de pulverização, é essencial considerar o tipo de aplicação, a cultura, o estágio de crescimento, as condições climáticas e outros fatores para garantir a eficácia e eficiência do processo.

Quais são os tipos de bicos disponíveis hoje no mercado?

Os bicos de pulverização são componentes essenciais em equipamentos agrícolas utilizados para a aplicação de defensivos, fertilizantes líquidos e outros tratamentos.

A seleção adequada do bico é crucial para garantir a eficácia da aplicação, a economia de insumos e a redução da deriva.

Aqui estão os principais tipos de bicos de pulverização utilizados na agricultura:

  1. Bicos de Jato Plano (ou de Leque)
    • Padrão: Produz um padrão de pulverização plano e uniforme. Comumente usado para a aplicação de herbicidas.
    • Antideriva: Desenhados para reduzir a formação de gotas pequenas e, consequentemente, minimizar a deriva.
    • Variação de Taxa: Permite alterar a taxa de aplicação mantendo a pressão constante.
  2. Bicos de Jato Cônico
    • Padrão Vazio: Produzem um padrão de pulverização circular. São frequentemente usados para a aplicação de inseticidas e fungicidas.
    • Cheio: Produzem gotas mais finas em comparação aos de padrão vazio e são usados para uma cobertura mais completa das plantas.
  3. Bicos de Jato Sólido
    • Usados para a aplicação direta ou em bandas, como na fertilização em linha.
  4. Bicos de Pulverização a Ar
    • Combinam líquido com ar sob pressão, produzindo gotas muito pequenas e uma cobertura mais uniforme, geralmente usados em culturas de alto dossel, como vinhas e árvores frutíferas.
  5. Bicos de Injeção de Ar (ou Venturi)
    • Misturam o líquido com o ar, aumentando o tamanho da gota e reduzindo a deriva. São populares para aplicações onde a minimização da deriva é essencial.
  6. Bicos Rotativos ou Atomizadores
    • Utilizam força centrífuga para produzir gotas muito finas, comumente usados em aviões agrícolas.
  7. Bicos Eletrostáticos
    • Utilizam carga elétrica para melhorar a aderência das gotas às plantas, otimizando a cobertura.

A seleção do bico adequado depende de diversos fatores, incluindo o tipo de aplicação (herbicida, inseticida, fungicida, fertilizante), o estágio da cultura, as condições climáticas e o equipamento de pulverização utilizado.

Sempre é recomendado consultar manuais e especialistas ao escolher bicos para uma aplicação específica.

Qual a função do bico no sistema de pulverização?

O bico de pulverização é um dispositivo essencial no sistema de pulverização, pois é responsável por distribuir o líquido em uma área específica, aumentar a área de superfície do líquido e criar força de impacto em superfícies sólidas.

Além disso, a escolha adequada do tipo de bico é fundamental para garantir a eficiência da aplicação de defensivos agrícolas e fertilizantes foliares, pois cada tipo de pulverização exige um tamanho de gotas diferente que podem ser geradas pelos mais diversos modelos de bicos.

Portanto, a configuração correta do pulverizador agrícola e a escolha dos bicos de pulverização adequados são peças-chave para garantir a eficiência do processo de pulverização.

O que significa a cor dos bicos de pulverização?

Existe uma tabela para entendimento mais aprofundado dos bicos, acompanhe abaixo:

Tabela de Pontas e Bicos de pulverizacão
Tabela de bicos de pulverização

A cor dos bicos de pulverização representa a vazão do líquido que será disperso durante a aplicação.

Essa norma de cores facilita a escolha do bico adequado para a finalidade pretendida, permitindo que o usuário saiba qual é a vazão de cada modelo de bico.

Por exemplo, um bico alaranjado tem uma vazão de 0.1, enquanto outros modelos podem ter vazões diferentes. Dessa forma, a cor dos bicos de pulverização é uma informação importante para garantir uma aplicação correta e eficiente.

Como fazer a calibração dos bicos?

A calibração de bicos de pulverização é fundamental para assegurar que a quantidade correta de produto seja aplicada de maneira uniforme.

Uma calibração inadequada pode levar ao uso excessivo de produto (aumentando os custos e potenciais impactos ambientais) ou ao uso insuficiente (reduzindo a eficácia do tratamento).

Aqui está um procedimento básico para calibrar bicos de pulverização:

  1. Prepare o Equipamento:
    • Certifique-se de que o pulverizador esteja limpo e em bom estado de funcionamento.
    • Escolha os bicos apropriados para a aplicação.
    • Verifique se os bicos, filtros e telas estão limpos e livres de detritos.
  2. Configure o Pulverizador:
    • Preencha o tanque com água.
    • Configure a pressão de operação desejada.
    • Certifique-se de que todos os bicos estejam funcionando corretamente.
  3. Meça uma Distância Conhecida no Campo:
    • A distância varia de acordo com o equipamento, mas uma distância comum é de 50 ou 100 metros.
  4. Opere o Pulverizador:
    • Dirija o pulverizador sobre a distância medida a uma velocidade constante e registre o tempo (em segundos) necessário para percorrê-la.
  5. Colete o Volume:
    • Com o pulverizador parado, mas com os bicos funcionando na pressão de operação desejada, colete o volume de líquido de um bico por um período igual ao tempo registrado no passo anterior (usando um recipiente graduado).
  6. Determine a Taxa de Aplicação:
    • O volume coletado em mililitros (mL) será aproximadamente igual à taxa de aplicação em litros por hectare (L/ha) para essa configuração específica de pulverizador, pressão e velocidade.
  7. Ajuste se Necessário:
    • Se a taxa de aplicação medida não corresponder à taxa desejada, ajuste a pressão, a velocidade ou ambos e repita os passos anteriores até alcançar a taxa correta.
  8. Verifique Uniformidade:
    • Compare o volume de saída de diferentes bicos para garantir que sejam uniformes. Substitua bicos que estejam desgastados ou que não estejam operando de forma consistente.
  9. Documente:
    • Registre a pressão de operação, a velocidade, o tipo de bico, o tamanho do bico e qualquer outra informação relevante para futuras referências.
  10. Lave o Equipamento:
  • Após a calibração, lave o equipamento para remover a água e evite a corrosão.

Lembre-se de calibrar o pulverizador regularmente e sempre que alterar a configuração ou o tipo de bico.

A calibração frequente garante a eficácia da aplicação e a economia de insumos.

Como deve ser feita a limpeza dos bicos?

A manutenção e limpeza adequadas dos bicos de pulverização são essenciais para garantir a eficiência na aplicação de produtos e a longevidade dos equipamentos.

Bicos obstruídos ou desgastados podem levar a uma aplicação irregular, o que resulta em controle insuficiente de pragas ou doenças e desperdício de produtos.

Aqui está um procedimento básico para a manutenção e limpeza de bicos de pulverização:

  1. Inspeção Regular:
    • Antes de cada uso, inspecione visualmente os bicos para verificar obstruções ou danos.
    • Observe o padrão de pulverização. Um padrão irregular geralmente indica um bico obstruído ou desgastado.
  2. Limpeza Diária:
    • Ao final de cada dia de uso, limpe os bicos. Isso previne o acúmulo de resíduos que podem endurecer e se tornar mais difíceis de remover.
  3. Desmontagem:
    • Remova os bicos, capas e filtros do pulverizador.
  4. Enxágue:
    • Use água limpa para enxaguar todas as partes removidas. Isso geralmente remove a maioria dos resíduos.
  5. Mergulhe em Solução de Limpeza:
    • Prepare uma solução de limpeza usando um detergente neutro ou um limpador específico para bicos de pulverização.
    • Mergulhe os bicos, capas e filtros na solução por alguns minutos.
  6. Limpeza de Bicos Obstruídos:
    • Nunca use objetos de metal, como agulhas ou arames, para desobstruir os bicos, pois isso pode danificá-los. Utilize escovas macias ou ar comprimido.
    • Em casos de obstruções mais persistentes, pode ser necessário deixar o bico de molho por mais tempo ou usar uma solução de limpeza mais concentrada.
  7. Verifique o Desgaste:
    • Bicos desgastados devem ser substituídos, pois não pulverizam de forma eficiente.
    • Uma maneira de verificar o desgaste é comparar a taxa de aplicação de um bico usado com a de um novo. Se a taxa do bico usado for significativamente maior, provavelmente está desgastado.
  8. Reinstale as Partes Limpa:
    • Após a limpeza, enxágue todas as partes em água limpa e reinstale-as no pulverizador.
  9. Armazenamento:
    • Se você não planeja usar o pulverizador por um período prolongado, é aconselhável armazenar os bicos separadamente em um local seco e limpo.
  10. Registros:
  • Mantenha registros da manutenção e substituição dos bicos para monitorar sua vida útil e performance.

Realizando esses passos de manutenção e limpeza de forma regular, você pode garantir que os bicos de pulverização funcionem de maneira eficaz e tenham uma vida útil mais longa.

Quando devo trocar os bicos de pulverização?

A decisão de quando trocar as pontas (ou bicos) de pulverização é crucial para garantir a eficácia da aplicação de defensivos e otimizar o uso de insumos.

Bicos desgastados podem comprometer a uniformidade da pulverização, o tamanho das gotas e a taxa de aplicação.

Eis alguns critérios e sinais para determinar quando é hora de trocar as pontas de pulverização:

  1. Desgaste Significativo:
    • Bicos desgastados podem aumentar o volume de pulverização em 10% ou mais. Se você notar um aumento significativo na taxa de aplicação em comparação com pontas novas, é provável que o desgaste seja a causa.
  2. Padrão de Pulverização Alterado:
    • Um padrão de pulverização irregular, como faixas não uniformes ou áreas sem pulverização, pode ser um sinal de que as pontas estão obstruídas ou desgastadas.
  3. Tamanho e Distribuição das Gotas:
    • Se você perceber que o tamanho das gotas é inconsistentemente grande ou pequeno, ou se a distribuição das gotas não estiver uniforme, as pontas podem estar desgastadas ou danificadas.
  4. Verificação Visual:
    • Inspeção visual regularmente para identificar danos visíveis, como fissuras, deformações ou erosão.
  5. Tempo de Uso e Volume Pulverizado:
    • Alguns fabricantes fornecem recomendações sobre o número de horas de uso ou o volume total que uma ponta pode pulverizar antes de precisar ser substituída.
  6. Materiais Abrasivos:
    • A utilização de produtos quimicamente agressivos ou suspensões abrasivas (como certos tipos de herbicidas) pode acelerar o desgaste dos bicos.
  7. Teste de Vazão:
    • Realizar testes de vazão periódicos comparando a vazão de cada bico com as especificações do fabricante ou com um bico novo pode ajudar a identificar pontas que precisam ser substituídas.
  8. Material do Bico:
    • Bicos feitos de polímeros (plástico) geralmente têm uma vida útil mais curta em comparação com os feitos de cerâmica ou aço inoxidável. Portanto, eles podem precisar ser substituídos com mais frequência.
  9. Calibração Regular:
    • A calibração regular do equipamento de pulverização pode ajudar a identificar inconsistências na taxa de aplicação, que podem ser indicativas de bicos desgastados.

Recomenda-se manter um conjunto de bicos de reserva para garantir que você possa substituí-los conforme necessário e evitar interrupções na operação.

Além disso, é importante sempre consultar o manual do fabricante e seguir as recomendações específicas para a manutenção e substituição das pontas de pulverização.

O que há de novo em tecnologias de bicos?

As inovações no campo da pulverização agrícola continuam a transformar o setor.

Primeiramente, os bicos com tecnologia de redução de deriva surgem como uma solução promissora para minimizar o desperdício de produtos e a contaminação indesejada.

Adicionalmente, a pulverização eletrostática, que utiliza cargas elétricas para otimizar a adesão das gotas nas plantas, representa uma revolução em termos de eficiência.

Além disso, os sistemas de controle de aplicação baseados em GPS proporcionam precisão inigualável, garantindo que os defensivos atinjam apenas as áreas alvo.

Portanto, esses avanços tecnológicos não apenas melhoram a eficácia da pulverização, mas também contribuem para práticas agrícolas mais sustentáveis e econômicas.

Pulverização Eletrostática

A pulverização eletrostática é uma técnica que utiliza a eletricidade para carregar as gotas de líquido que são pulverizadas, tornando-as atraídas para superfícies com uma carga oposta.

No contexto da agricultura, essa técnica é aplicada principalmente na pulverização de defensivos agrícolas.

Quando as gotas de um líquido pulverizado são carregadas eletrostaticamente, elas são atraídas pelas plantas (que têm uma carga oposta ou são aterradas). Isso proporciona várias vantagens:

  1. Maior Aderência: As gotas carregadas aderem mais eficazmente às folhas das plantas, inclusive nas partes inferiores das folhas, onde muitas pragas e doenças podem se alojar.
  2. Redução da Deriva: As gotas carregadas são menos propensas a serem levadas pelo vento, reduzindo a deriva e, assim, minimizando o desperdício de produto e a contaminação de áreas adjacentes.
  3. Economia de Insumos: Como a pulverização eletrostática melhora a cobertura e aderência do produto, é possível usar menos produto para obter o mesmo efeito, resultando em economia.
  4. Minimização do Impacto Ambiental: A redução da deriva e o uso mais eficiente de defensivos diminuem a possibilidade de contaminação do solo, da água e de culturas não-alvo.
  5. Cobertura Uniforme: A atração das gotas carregadas pelas plantas resulta em uma cobertura mais uniforme, o que é essencial para a eficácia de muitos tratamentos.

A pulverização eletrostática tem se mostrado especialmente benéfica em culturas de dossel denso, onde a penetração e cobertura uniforme podem ser desafiadoras com técnicas de pulverização convencionais.

No entanto, é importante considerar as especificidades de cada cultura e situação para determinar se essa técnica é a mais adequada.

Bicos com tecnologia de redução de deriva


Os bicos com tecnologia de redução de deriva são projetados especificamente para minimizar a quantidade de gotículas pequenas e ultrapequenas produzidas durante a pulverização.

Essas gotículas diminutas são mais suscetíveis a serem deslocadas pelo vento, o que pode levar a uma dispersão não intencional do produto para áreas adjacentes, um fenômeno conhecido como “deriva”.

A deriva de pesticidas ou outros produtos agrícolas pode causar danos a culturas sensíveis próximas, impactos ambientais e exposições indesejadas.

Características e benefícios dos bicos com tecnologia de redução de deriva:

  1. Tamanho de Gotícula Maior: Estes bicos são projetados para produzir gotículas maiores, que são menos propensas a serem carregadas pelo vento.
  2. Pressão de Operação: Operam frequentemente em uma faixa de pressão maior do que os bicos tradicionais, o que permite uma flexibilidade na velocidade de aplicação sem comprometer a redução da deriva.
  3. Design Inovador: Alguns destes bicos utilizam designs venturi, que misturam o produto pulverizado com ar, formando gotas maiores e mais resistentes à deriva.
  4. Compatibilidade com Adjuvantes: Certos adjuvantes podem ser usados junto com esses bicos para alterar as características do líquido, tornando-o ainda menos suscetível à deriva.
  5. Redução de Contaminação: Ao minimizar a deriva, esses bicos ajudam a reduzir a contaminação de áreas adjacentes, protegendo culturas vizinhas, recursos hídricos e habitats.
  6. Otimização da Aplicação: Garantem que o produto aplicado atinja o alvo pretendido de forma mais eficaz, otimizando a quantidade de produto usado e potencialmente reduzindo os custos.

A escolha de bicos de redução de deriva é uma consideração importante, especialmente em áreas onde as culturas sensíveis estão próximas ou em condições climáticas que favorecem a deriva.

O uso desses bicos, juntamente com práticas adequadas de aplicação e monitoramento das condições climáticas, pode contribuir significativamente para aplicações de pulverização mais responsáveis e eficazes.

Normas e Legislação

A legislação e as normas relacionadas aos bicos de pulverização no Brasil buscam garantir a segurança do usuário, a proteção do meio ambiente e a eficácia na aplicação de defensivos agrícolas.

Até a minha última atualização em janeiro de 2022, aqui estão alguns pontos importantes sobre a legislação e normas brasileiras relativas aos bicos de pulverização:

  1. Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA):
    • A ANVISA estabelece regulamentações relacionadas ao uso e aplicação de agrotóxicos, incluindo as boas práticas de aplicação. Isso influencia a seleção e uso de bicos de pulverização para garantir a aplicação eficiente e segura dos produtos.
  2. Instrução Normativa nº 02/2008 do MAPA:
    • Esta instrução do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) estabelece critérios e padrões para a realização da pulverização de agrotóxicos e afins. Ela determina que os equipamentos utilizados na aplicação sejam devidamente regulados e calibrados, o que inclui a manutenção e calibração dos bicos de pulverização.
  3. Certificação de Equipamentos:
    • O Brasil possui um programa de certificação para pulverizadores, garantindo que atendam a certos padrões de qualidade e segurança. Isso também inclui especificações para bicos de pulverização, garantindo que estejam de acordo com as normas técnicas estabelecidas.
  4. Treinamento e Capacitação:
    • A legislação brasileira exige que os aplicadores de agrotóxicos recebam treinamento adequado. Isso inclui instrução sobre a seleção, manutenção e calibração de bicos de pulverização.
  5. Recomendações do Fabricante:
    • Ao registrar um defensivo agrícola no Brasil, os fabricantes devem fornecer recomendações de aplicação, incluindo o tipo de bico de pulverização adequado, a pressão de operação e outras especificações.
  6. Proteção ao Meio Ambiente:
    • Normas e leis ambientais, como as estabelecidas pelo CONAMA (Conselho Nacional do Meio Ambiente), influenciam as práticas de pulverização para minimizar impactos negativos. Isso pode incluir o uso de bicos de redução de deriva em áreas sensíveis.
  7. Legislação Estadual e Municipal:
    • Além da legislação federal, estados e municípios podem ter regulamentos adicionais relacionados à pulverização agrícola, incluindo requisitos para bicos de pulverização.

É fundamental que agricultores, técnicos agrícolas e outros profissionais envolvidos na aplicação de defensivos estejam atualizados quanto às legislações e normas em vigor, pois elas podem sofrer atualizações e alterações.

Participar regularmente de treinamentos e consultar os órgãos reguladores são práticas recomendadas.

Qual o bico usado para inceticida?

De acordo com a pesquisa realizada, o bico de impacto é indicado para a aplicação de inseticidas, além de fungicidas e herbicidas.

Esse tipo de bico foi desenvolvido para operar em escalas de pressão que variam entre 15 e 90 psi, e é capaz de produzir jatos em forma de leque com ângulos de 110 a 140°.

Já as pontas cônicas são recomendadas principalmente para pulverização de inseticidas de contato e sistêmico, por conta da sua característica ser gotas finas e muito finas, que garantem maior cobertura e penetração no alvo desejado.

É importante lembrar que a escolha dos bicos de pulverização é fundamental para ter eficiência na aplicação de defensivos agrícolas e fertilizantes foliares.

Qual bico usar para fungicida?

Existem diferentes tipos de bicos de pulverização que podem ser utilizados para aplicação de fungicidas, como o bico de impacto, o bico de cone vazio e o bico de pulverização de produtos fitofarmacêuticos.

Cada um desses bicos possui características específicas que podem influenciar na eficácia da aplicação, como o tamanho das gotas e o ângulo de pulverização.

É importante escolher o bico adequado para cada situação, levando em consideração o tipo de fungicida a ser aplicado e as condições climáticas do momento da aplicação.

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *